Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros | Crítica do filme

Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros | Crítica do filme

Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros… filme dirigido por Timur Bekmambetov (O Procurado) pelo roteiro adaptado do livro de Seth Grahame-Smith (Sombras da Noite). Tendo no elenco Benjamin Walker, Dominic Cooper, Anthony Mackie, Mary Elizabeth Winstead, Rufus Sewell.

Antes de começar escrever sobre esse filme, acho que pensei tanto como nunca havia pensado na minha vida. Não se tem o que escrever sobre um filme no qual o próprio título já te diz “venha para o cinema, mas não espere saber sobre o 16º presidente dos Estados Unidos, porque vamos satirizar ele”. O filme inteiro é isso, uma grande sátira baseada em uma personalidade histórica que realmente existiu. Com um orçamento de $69,000,000 o diretor soube brincar bastante com a tecnologia disponível na indústria cinematográfica, porém de forma exagerada que faz o espectador perder mais ainda a crença.

Na história, o jovem Abraham Lincoln é testemunha do assassinato de sua mãe pelas mãos de um vampiro. Movido pela vingança, o rapaz acaba se deparando com Henry Sturges, que o treina para controlar sua raiva e virar um verdadeiro caçador de vampiros. Nisso a história possui algumas reviravoltas, assassinatos e cenas absurdas de ação, e o jovem acaba se tornando o presidente dos Estados Unidos conhecido por libertar os escravos (que nessa versão a escrevidão existe devido aos vampiros) e manter a união dos estados durante a Guerra Civil.

O filme até tem o mérito de possuir um ritmo interessante, conseguindo prender a atenção dentro da história o tempo inteiro, e atuações ótimas, principalmente de Benjamin Walker que se entrega mesmo ao personagem e mostra o quanto ele amadurece com o decorrer do tempo.

Ainda não li o livro, mas pelo que percebi pela duração das cenas, o roteirista deve ter tentado encaixar o máximo de passagens do livro dentro do filme. A narrativa está constantemente mudando de ambiente, de cenários, de personagens, fazendo com que tudo fique apresentado de forma superficial, sem muito prender pela profundidade da cena. Elas são muito mais informativas do que cênicas, principalmente por ainda ter um narrador que mastiga a cena mais ainda, apenas transcrevendo o que já estamos assistindo.

Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros é um bom entretenimento, não colabora históricamente com os méritos e vida do presidente mais conhecido do mundo. Apesar de não ser uma comédia consegue se por ao lado de sátiras marcantes do cinema como “Todo Mundo em Pânico, claro que dentro de sua realidade. Só espero que o uso de personalidades históricas nessas adaptações não vire moda, pois já consigo ver ao longe uma versão tupiniquim de “Dom Pedro I – Caçador de Lobisomens“.