Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros | Crítica do Filme

 
jurassic-world-poster

_Estrela_Estrela_Estrela_EstrelaEstrela_Meia
O parque está aberto! Dirigido por Colin Trevorrow e com produção executiva de Steven Spielberg – que retorna à produção 20 anos depois do primeiro filme – JurassicWorld – O Mundo dos Dinossauros” estreia nos cinemas brasileiros em11 de junho. A produção traz novidades, como o primeiro dinossauro geneticamente modificado em laboratório: a D-Rex. A grande predadora é um animal híbrido que se mostra altamente inteligente, surpreendendo toda a equipe do parque dos dinossauros. Com Chris Pratt e Bryce Dallas Howard como protagonistas, a aventura épica é baseada nos personagens criados por Michael Crichton e tem roteiro assinado por Rick Jaffa & Amanda Silver, além de Trevorrow e Derek Connolly.

 

Estréia: 11 de junho de 2015

 

 

Não é porque aviões caem que deixamos de andar neles. Então antes de pensar no porque em Jurassic World o parque dos dinossauros realmente foi aberto, reflita se você deixaria de ver dinossauros ao vivo por causa de meia dúzia de mortes que aconteceram na ilha há 20 anos. Ao contrário de suas sequências anteriores, Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros é a continuação que todos esperavam de Jurassic Park. É uma pena que demorou 22 anos para que ela finalmente fosse concretizada. O Mundo Perdido e Jurassic Park III deram seus vôos, tivemos bons momentos, chegamos a nos divertir, mas no fim concluímos que tais sequências foram completos acidentes para a franquia. Diferente de Jurassic World, que voa. E voa alto. Eleva e te leva novamente para o universo pensado por Michael Crichton nos livros, e posteriormente Steven Spielberg nos cinemas.

Se passaram 20 anos desde os acontecimentos de Jurassic Park, a tecnologia evoluiu e permitiu que finalmente o sonho de John Hammond (Richard Attenborough) fosse concretizado. Mesmo atraindo muitas visitas, os atuais donos e administradores do parque, que agora se chama Jurassic World, sabem que parques temáticos precisam ser reinventados constantemente, pois ver apenas animais, que deixaram de ser extintos já há 20 anos, não será tão atrativo dentro em breve. Nisso que os engenheiros da InGen junto de Dr. Henry Wu (sim, o mesmo engenheiro vivido por BD Wong no primeiro filme está de volta), desenvolve o primeiro dinossauro híbrido: um T-Rex com fragmentos de Velociraptor, o Indominus Rex.

2424_D030_00167-menor_0

O filme é redondo e trás todos aqueles elementos incríveis que tivemos no primeiro longa da série. A preocupação com a inexperiência do diretor Colin Trevorrow acabou, e ele se mostrou extremamente capaz em criar cenas tensas, que fazem o público pular da cadeira.

Mesmo tendo diversas referências visuais no primeiro filme, não se explica muito quanto ao surgimento do novo parque. A ausência de citações de personagens que estiveram  no passeio pré inaugural também me desagradou. Perderam uma ótima oportunidade em nos revelar o posicionamento dos personagens do primeiro filme perante o atual estágio do parque.

O longa nos apresenta novos personagens, em sua maioria muito interessantes. Owen (Chris Pratt), como já pode ser percebido nos materiais de divulgação, é um adestrador de Velociraptors, ideia que inicialmente me desagradou, mas que dentro do contexto do longa fez todo o sentido. Claire (Bryce Dallas Howard) é a atual diretora do parque, uma mulher solitária e workaholic. Sua personagem é a que mais se desenvolve com o decorrer do filme. Ela protagoniza o longa ao lado de Pratt, e é a representante do poder feminino dentro do filme. Outros dois personagens que servem de fuga cômica e estão ótimos são os dos atores Jake Johnson e Lauren Lapkus. Ambos trabalham na sala de controle do parque.

2424_FTT_00426AR_CROP_0

A fenomenal trilha sonora de John Williams também está presente. Trilha que por sinal é uma das mais belas do cinema. Dessa vez adaptada pelas mãos do igualmente excelente Michael Giacchino, que talvez você já deva conhecer pelas trilhas do filme Up – Altas Aventuras e da série Lost. É impossível não se emocionar com tamanha grandeza nos temas do filme.

Eu sempre me questionei se Jurassic Park teria o mesmo impacto nos dias de hoje, em que 99,9% dos blockbusters utilizam abusivamente computação gráfica de qualidade. Ao assistir, tive minha resposta. Por mais que os animatronics realistas do primeiro filme tenham sido substituídos pelo CGI, a qualidade da textura e animação dos dinossauros se assemelha ao que foi usado em 1993, mantendo uma unidade visual entre os filmes. O 3D e IMAX não são indispensáveis. Temos um excelente uso da tecnologia.

Jurassic World – O Mundo dos Dinossauros pode em muitos momentos parecer mais do mesmo, ou então ser julgado como mais um filme de tragédia, mas o background que ele possui e o histórico nostálgico que ele causa, são poucas franquias que conseguem. Hoje, temos diversos profissionais que trabalham com paleontologia por ter se encantado com o realismo que as criaturas extintas tiveram no filme de 1993, e certamente muitos jovens nessa nova geração irão atrás de mais conhecimento quanto a esses bichos incríveis e poderosos que habitavam nosso planeta há milhões de anos. Torçamos que o futuro dessa franquia possa ser tão promissor quanto esse recomeço.

jw_864x352px_exib

 



 

CONTINUE PLUGANDO:

 

Rodrigo Santuci

Publicitário por profissão e cinéfilo por paixão. É o fundador do site Plugou. Apaixonado por cinema desde pequeno, nunca se incomodou em passar horas sozinho tentando entender como os filmes funcionam. Apaixonado por quadrinhos e games apesar de ter abandonado os dois com os passar dos anos. Tem dificuldade para jogar qualquer coisa mais complexa que Alex Kidd in Miracle World. Trabalha com Internet desde 1999 e já foi diretor de arte nas maiores agências de publicidade da Brasil. Em 2000 abriu junto com o jornalista Matheus Mocelin Carvalho e o ilustrador Fernando Ventura o Disney News e o AnimationS fórum (um dos principais canais de comunicação entre admiradores de cinema de animação). Em abril de 2012 começou o projeto Plugou e se dedica diariamente encontrar novos diferenciais para o portal.