Meu Malvado Favorito 2 | Crítica do Filme

Meu Malvado Favorito 2 | Crítica do Filme

nota4cartaz _30cmContinuando a onda de animações que as férias de julho trás consigo, Meu Malvado Favorito 2 é lançado já com a certeza de que fará milhões de bilheterias, assim como o original fez. Coincidentemente, ou não, é o segundo lançamento animado da temporada e segunda sequência. Lançado apenas alguns dias depois que a Pixar revelou sua estratégia de colocar nos cinemas uma sequência a cada dois anos, se deparar com o mais do mesmo só nos faz chegar a uma conclusão de que tem gente dentro de Hollywood ganhando muito dinheiro enquanto outras perdem os cabelos para espremer mais do suco das histórias já contadas. É bom para o estúdio, é bom para a indústria de brinquedos, é bom para o tio Mc Donald´s deixar o palhaço mais feliz, e, por um lado não tão positivo, bom para público que se sente confortável por ter uma aposta certa na escolha do filme do final de semana para a garotada.

Tivemos no primeiro filme um personagem que era um vilão assumido que se viu diante de situações que fizeram sua vida mudar. De um vilão a um pai solteiro e amoroso, líder de uma família não habitual, passamos pela jornada de Gru (Steve Carell) que se tornou o primeiro vilão protagonista de uma animação. Uma ideia de tão original que logo em seguida já teve um filme com uma proximidade de enredo, o Megamente, e agora recentemente a Disney com o Detona Ralph. Uma coisa que é até prudente mencionar, que mesmo tendo uma premissa de vilão arrependido, em nenhum dos casos a história deixou de ser interessante e original. O público mostrou-se receptivo ao conhecer as jornadas desses antagonistas que por alguma razão decidiram mudar. Contudo, não temos mais nada disso em Meu Malvado Favorito 2, afinal já encontramos um Gru-herói logo de cara, um personagem que só tem como conflito ser bem sucedido na sua nova carreira de fabricante de geleia e garantir um futuro seguro para suas três filhas.  Eis que uma substância secreta é roubada e a unica solução para se encontrar o super vilão capaz disso está no conhecimento que Gru teve em seus anos de vilania. Contando com a ajuda Lucy (Kristen Wiig), uma agente secreta, acabam conduzindo a história para o mais habitual final no qual um casal de conto de fadas pode terminar.

Uma história aparentemente básica, sem originalidade na essência, porém que acrescenta uma série de elementos que fazem dela saltar de uma mera continuação para uma sequência completamente engraçada, cheia de elementos surreais. Afinal, nesse universo de Gru é inteiramente normal se ter no porão de casa um monte de Minions que estão à sua disposição para trabalhar com o que Gru bem entender, ou então criar um plano no qual se pode amarrar uma pessoa junto com um tubarão em um míssil e direcioná-lo para um vulcão em erupção. A essência de Meu Malvado Favorito 2 pode não ser tão original quanto pegar um vilão e transforma-lo mocinho, mas seu aspecto cartoon agreda demais ao fazer o espectador relembrar das gloriosas manhãs de sábado onde nosso único compromisso era sentar na frente da TV e dar risadas de um coiote se dando mal.

Não posso terminar meu texto sem sitar o quão divertida foi a escolha da dublagem nacional do vilão. Para um mexicano exagerado, cheio de clichês latinos, ninguém melhor que Sidney Magal para emprestar a voz. Mesmo com as falhas de interpretação do cantor, ao reconhecer a voz dele no personagem a composição fica instantaneamente engraçada. Assim como em Universidade Monstros o 3D do filme é um elemento completamente dispensável.

Hollywood pode até pecar pela falta de criatividade e comodismo em revisitar os mesmos universos constantemente, afinal, cinema é um mercado e até podemos entender os esforços que são feitos ao tentarem fazer o público continuar se interessando por um bom divertimento dentro das salas de projeções. Agora, se for pecar com o repeteco, que erre como doses de boas lembranças e boa qualidade como temos em Meu Malvado Favorito 2. Ano que vem um spin-off do filme já está programado (tanto que até nos créditos do filme já somos introduzidos ao novo filme). Minions o filme promete muitas risadas e lembranças de cartoons (haverá bastante trabalho para nosso amigo Guilherme Briggs que dubla essas criaturas de forma espetacular).