Mulheres ao Ataque | Crítica do Filme

mulheres-ao -ataque

_Estrela_EstrelaEstrela_MeiaEstrela_ApagadaEstrela_Apagada
Cameron Diaz estrela a comédia Mulheres ao Ataque, sobre uma amizade improvável entre três mulheres que planejam um esquema brilhante para se vingar de um homem que as traiu. Unidas pela vingança, elas descobrem que não é só sobre atacar de volta – é sobre permanecerem juntas.

 

Estréia: 08 de maio de 2014

 

 

Mulheres ao Ataque seria o tipo de filme que meu preconceito faria sair da sala de cinema com a cara fechada, braços cruzados e lamentando por perder mais duas horas preciosas de minha vida. Seria, mas não foi. O novo filme do diretor Nick Cassavetes conhecido por dirigir “Diários de uma Paixão“e “Alpha Dog” traz no elenco Cameron Diaz, Leslie Mann, Nikolaj Coster-Waldau e Kate Upton e para o gênero que se enquadra é surpreendentemente bom.

 

Mark King (Nikolaj Coster-Waldau), um investidor de novas empresas logo de cara nos é apresentado como um homem infiel a sua esposa Kate King (Leslie Mann), que por sua vez é uma dona de casa que confia friamente no marido. Carly Whitten (Cameron Diaz), por sua vez, é uma mulher completamente diferente de Kate: uma advogada muito bem resolvida que não leva seus relacionamentos a sério, até se envolver com Mark. Entretanto, não demora muito para descobrir que ele é casado e ela na verdade é a amante. Quando esposa e amante acabam se encontrando, o sentimento de traição logo some e uma amizade entre as duas mulheres nasce, mas quando elas descobrem que ainda há uma terceira mulher envolvida, a vingança irá leva-las descobrir muito mais que a traição conjugal.

 

A história tem lá seus furos e diálogos que muitas vezes podem trazer sentimentos de indignação no início do filme, pois estamos lidando com uma das protagonistas completamente submissa ao marido, aceitando de certa forma a traição causada por ele. Contudo, o crescimento da personagem da esposa se torna tão interessante que o filme lhe prende do começo ao fim. O caminho entre dona de casa à mulher que se torna faz uma completa metáfora da ascensão feminina no mercado de trabalho. Em uma determinada cena, tal personagem está com trajes que lembram muito a moda dos anos 60, sendo essa cena marcada como um ponto final na personalidade que tanto lhe prejudicou.

 

Por outro lado temos a personagem da amante, muito bem vivida por Cameron, que apesar de não perder em nenhum momento sua feminilidade possui uma postura rígida dentro do seu ambiente de trabalho, mostrando ser uma mulher que mantém o respeito e que sabe dividir sua vida profissional da pessoal. A personagem está constantemente usando cores completamente claras ou cores completamente escuras, que ilustra bem a dualidade que há em sua vida.

 

A terceira mulher, que infelizmente só conhecemos mais para o final do filme, não tem tanta identidade dentro da trama. É uma mulher muito mais nova que as outras duas que chega para concluir a trama ao despertar nas outras duas um desejo de vingança, que até então não existia. Além de Cameron Diaz no auge de seus 42 anos ainda esta esbanjando charme, temos Leslie Mann que toma a cena quando resolve beber para esquecer dos problemas, mesmo a atriz perdendo um pouco o tom e deixando a comédia mais escrachada do que de fato deveria ser. Destaco também a trilha sonora do filme que passeia entre Cyndi Lauper, Frank Sinatra e trilhas de ação como o tema de Missão Impossível, deixando o filme mais leve e divertido.

 

Mulheres ao Ataque me surpreendeu pelo crescimento de seus personagens e entregar uma comédia descompromissada e divertida que lhe fará se entreter durante as duas horas de projeção.



 

CONTINUE PLUGANDO:

 

Rodrigo Santuci

Publicitário por profissão e cinéfilo por paixão. É o fundador do site Plugou. Apaixonado por cinema desde pequeno, nunca se incomodou em passar horas sozinho tentando entender como os filmes funcionam. Apaixonado por quadrinhos e games apesar de ter abandonado os dois com os passar dos anos. Tem dificuldade para jogar qualquer coisa mais complexa que Alex Kidd in Miracle World. Trabalha com Internet desde 1999 e já foi diretor de arte nas maiores agências de publicidade da Brasil. Em 2000 abriu junto com o jornalista Matheus Mocelin Carvalho e o ilustrador Fernando Ventura o Disney News e o AnimationS fórum (um dos principais canais de comunicação entre admiradores de cinema de animação). Em abril de 2012 começou o projeto Plugou e se dedica diariamente encontrar novos diferenciais para o portal.