Qual será o foco da nova trilogia Star Wars comandada por Rian Johnson?

Qual será o foco da nova trilogia Star Wars comandada por Rian Johnson?

Nesta semana, tivemos a notícia bombástica de que Rian Johnson, diretor de “Star Wars: Os Últimos Jedi, estaria se preparando para conceber uma nova trilogia situada na galáxia muito, muito distante… Embora não tenhamos muitos detalhes além do anúncio, foi confirmado que esta nova trilogia deve seguir um caminho diferente da saga Skywalker, e mostrar elementos nunca antes explorados desta mitologia no cinema.

Chegou a hora de especular! Onde será que Rian Johnson pretende situar sua nova trilogia? Aqui estão três possibildades práticas e perfeitamente exploráveis para o diretor. Começando pela mais óbvia para qualquer fã de Star Wars: 

 

 

A Velha República

A Velha República (The Old Republic) é uma época longínqua de Star Wars, explorada principalmente em Games e HQs, onde Jedis travavam guerras civis, os Sith eram praticamente uma nação de guerreiros e a política da galáxia ainda estava se formando para eventualmente se tornar o quê conhecemos com o Episódios I, II e III.

Inevitavelmente, quando se fala de “Old Republic“, é preciso falar de Darth Bane. Bane foi responsável por instituir aquilo que conhecemos como a “Regra de Dois” dos Sith. Após aniquilar seus concorrentes, o vilão tomou como regra que deveria passar seu conhecimento apenas para um aprendiz. Os Sith atualmente só podem existir em duplas, um mestre e um aprendiz. O aprendiz deve matar o mestre para tomar o seu lugar, e assim sucessivamente, criando o legado dos Sith que percorre até a morte de Darth Sidious em “Star Wars: Episódio VI – O Retorno do Jedi”. 

Um filme na Velha República poderia muito bem explorar a história de Darth Bane, mas também poderia focar em diversos outros pontos históricos desta época como as Guerras Mandalorianas, entre tantos outros. Certos elementos da Velha República acabaram se tornando cânone oficial após serem inseridos ou citados nas séries animadas “Clone Wars” e “Rebels”, mas simplesmente tornar tudo que foi publicado sobre este período até então seria uma dor de cabeça enorme para a Disney (Uma breve visita à Wookiepedia deve te mostrar por quê). Nada melhor então que construir uma nova trilogia e reescrever estes elementos de forma que ele se encaixem melhor com os planos atuais.

 

O Futuro da Galáxia

Outra opção tentadora seria focar a nova trilogia de Rian Johnson no futuro. Algo semelhante ao que Star Trek fez com “Nova geração”, Rian Johnson poderia ficar responsável por imaginar como estaria a galáxia cem, duzentos anos no futuro.  O quadro estaria praticamente em branco, com possibilidades de desenvolver a tecnologia, a política, o culto em cima da força… seria praticamente um “reboot“, onde a franquia poderia acabar ganhando uma nova “cara”, talvez até mesmo um novo “tom”.

Embora Star Wars seja muito mais próximo do gênero de fantasia do que ficção científica propriamente dita, Rian Johnson já demonstrou aptidão ao gênero com “Looper”. Deixar o diretor evoluir a galáxia para um novo patamar poderia abrir portas interessantes para diversas novas histórias que não precisariam de nenhum traço de relação com nenhum dos filmes lançados até hoje.

Isso sem falar no enorme espaço de tempo perdido que ficaria à disposição da Disney para preencher conforme a franquia avança. Star Wars sempre desenvolveu novas obras em intervalos de tempo não explorados pelos filmes. Com cem anos de espaço entre as histórias de Rey e Kylo Ren, e esta nova trilogia, as possibilidades são infinitas! É só pensar no que foi feito com o Star Wars: Despertar da Força (e seus trinta anos de intervalo) e multiplicar.

E por fim…

 

A História Paralela

Talvez isso seja levar a proposta muito ao pé da letra, mas se a intenção é sair da Saga Skywalker, e a Disney não estiver interessada em expandir a linha do tempo da franquia nem para trás, e nem para frente, Rian Johnson poderia estar desenvolvendo histórias que se passam paralelamente ao eventos mostrados nos filmes.

Esta nova trilogia poderia se estender por todos os quase cem anos abordados até então nos cinemas, com o primeiro filme se passando na época dos “prequels, o segundo filme se passando durante a trilogia clássica, e o último filme se passando no mesmo período da nova trilogia. Seria uma abordagem completamente diferente do que vimos até então, com os filmes tendo saltos temporais imensos entre si e construindo uma visão muito mais expansiva do que a clássica “jornada do herói”.

E para deixar a carteira da Disney ainda mais cheia, esta nova trilogia estaria repleta de nostalgia para todos os públicos! Fãs dos “prequels” iriam poder finalmente explorar um pouco mais da galáxia pré-guerras clônicas, além de reencontrar personagens secundários que mereciam mais tempo e aprofundamento.

A trilogia clássica então, nem se fala. Situando a história longe do conflito principal Império vs. Rebelião, poderíamos acabar enriquecendo a mitologia explorando alguns conceitos esquecidos do falecido “Universo Expandido“.  Outros planetas, conflitos concentrados em planetas específicos, as “Unknown Regions” (que é uma parte não explorada e não catalogada da galáxia). Tudo isso com a evolução dos personagens criados no filme anterior.

E então teriamos o terceiro e o último filme que selaria o plano-mestre da Disney de estabelecer seu universo. Com a nova trilogia ainda sendo lançada, é díficil imaginar o quê poderia ser feito nos confins da galáxia enquanto Rey e Luke estão discutindo em meio aos Porgs. Mas com novos planetas e personagens sendo apresentados a cada filme, possibilidade é o quê não falta! E com um apenas uma trilogia, você poderia construir toda uma gama de gerações de personagens que não apenas funcionam por si só, mas que também complementam toda a franquia.

É claro, nada disso é baseado em qualquer detalhe confirmado. E a nova trilogia pode muito bem se passar apenas no período entre “Star Wars: Episódio VI – O Retorno do Jedi” e “Star Wars: O Despertar da Força. O importante é que se “Star Wars: Os Últimos Jedi” for um filme tão bom quanto seu antecessor, esta nova trilogia de Johnson pode acabar se tornando o carro chefe da franquia após a conclusão da Saga Skywalker. Como sempre, nos resta esperar e especular.