Terremoto: A Falha De San Andreas | Crítica do Filme

 
terremoto-san-andreas

_Estrela_EstrelaEstrela_ApagadaEstrela_ApagadaEstrela_Apagada
Depois que a famosa “Falha de San Andreas” finalmente cede, provocando um terremoto de magnitude 9 na Califórnia, um piloto de helicóptero de busca e resgate (Dwayne Johnson) e sua ex-esposa fazem juntos o caminho de Los Angeles para São Francisco tentando salvar sua única filha.

Mas a jornada traiçoeira rumo ao norte é apenas o começo e quando eles acham que o pior pode ter acabado… está apenas começando.

O filme de ação Terremoto: A Falha de SanAndreas, da New Line Cinema e Village Roadshow Pictures, reúne Dwayne Johnson com o diretor Brad Peyton e o produtor Beau Flynn, depois do sucesso global “Viagem 2 – A Ilha Misteriosa”.
 

Estréia: 28 de maio de 2015

 

 

 

Você é fã de 2012 e Do Dia Depois de Amanhã? Se empolga com filme catástrofe cheio de explosões, prédios caindo, pessoas gritando e, milagrosamente, nada acontece com o protagonista de sua história? Parabéns, você ganhou mais um título para colocar na estante: Terremoto: A Falha De San Andreas.

 

Vazio no conteúdo, espetacular no visual, o filme trás uma história simplista onde os personagens são apenas baratas correndo quando o perigo é iminente, sem terem muito o que fazer, já que o grande vilão da trama é o tremor de terra.

 

SA-04044r

 

Dwayne Johnson é um socorrista, recém divorciado, que luta contra a dor da perda de uma filha. Já sentiu o nível de drama que o filme oferece, né? Protagonista de um dos três núcleos de história, o personagem parte junto com sua ex-esposa em busca de sua outra filha. Essa por sua vez, encabeça o segundo núcleo, é a responsável por ser a dama em perigo, que em sua trajetória acaba encontrando seu príncipe encantado.

 

O terceiro núcleo de personagens conta com o excelente Paul Giamatti, que em toda sua carreira nunca foi tão mal aproveitado em um filme… não espera… ele estava em “O Espetacular Homem-Aranha 2″… bom, mas isso não vem ao caso. Seu personagem é um cientista que estuda terremotos e está ali apenas para dar dados técnicos sobre o acontecimento, sem acrescentar em nada aos dois outros núcleos. Paul só não é o personagem mais desnecessário no filme porque ainda temos a presença de Ioan Gruffudd, que entra em cena sem motivo, e sai da mesma forma que entrou… bom, todo mundo tem contas a pagar, e é assim que atores bons aceitam projetos fracos.

 

SAN ANDREAS

 

Com uma trilha sonora genérica, a trama se completa com diálogos monótonos que fazem o filme perder o ritmo de uma forma que incomoda. O diretor Brad Peyton só se mostra competente quando as cenas de destruição tomam conta da tela.

 

Terremoto: A Falha De San Andreas não apenas se trata de uma falha nas placas tectônicas, mas também é um filme falho que tinha um potencial enorme para ser explorado e não foi além. É difícil acreditar que tal filme vem do mesmo estúdio que há poucas semanas nos apresentou um dos melhores filmes de ação feitos até hoje, Mad Max: Estrada da Fúria. Pô Warner… como fazer um longa desses? Bom, já sei: todo mundo tem contas a pagar.

 



 

CONTINUE PLUGANDO:

 

Rodrigo Santuci

Publicitário por profissão e cinéfilo por paixão. É o fundador do site Plugou. Apaixonado por cinema desde pequeno, nunca se incomodou em passar horas sozinho tentando entender como os filmes funcionam. Apaixonado por quadrinhos e games apesar de ter abandonado os dois com os passar dos anos. Tem dificuldade para jogar qualquer coisa mais complexa que Alex Kidd in Miracle World. Trabalha com Internet desde 1999 e já foi diretor de arte nas maiores agências de publicidade da Brasil. Em 2000 abriu junto com o jornalista Matheus Mocelin Carvalho e o ilustrador Fernando Ventura o Disney News e o AnimationS fórum (um dos principais canais de comunicação entre admiradores de cinema de animação). Em abril de 2012 começou o projeto Plugou e se dedica diariamente encontrar novos diferenciais para o portal.