Tomorrowland – O lugar onde nada é impossível | crítica do filme

Tomorrowland – O lugar onde nada é impossível | crítica do filme

 
tomorrowland-o-lugar-onde-nada-impossivel

_Estrela_EstrelaEstrela_MeiaEstrela_ApagadaEstrela_Apagada
Da Disney chega a eletrizante aventura de mistério Tomorrowland – Um Lugar Onde Nada é Impossível, do diretor ganhador de dois prêmios Oscar® Brad Bird, estrelado pelo ganhador do prêmio da Academia® George Clooney. Ligados por um destino, Casey (Britt Robertson), uma adolescente otimista e vibrante com curiosidade científica, e Frank (Clooney), um gênio desiludido, embarcam em uma missão repleta de perigos para desvendar os segredos de um local enigmático em algum lugar no tempo e no espaço conhecido como Tomorrowland. O que eles devem fazer lá muda o mundo – e eles – para sempre.   Com roteiro de Brad Bird e do escritor e cocriador de Lost, Damon Lindelof, a partir de uma história de Lindelof & Jeff Jensen e Bird,Tomorrowland – Um Lugar Onde Nada é Impossível, promete levar o público em uma viagem eletrizante de muitas aventuras por novas dimensões que só foram vistas em sonhos.

 

Estréia: 04 de junho de 2015

 

 

 

Eu honestamente não sabia o que esperar de Tomorrowland – O Lugar Onde Nada é Impossível, afinal, o trailer não explicava muito sobre a trama do filme, claramente era associada com a cultura das World Fairs (Feiras que expunham as novidades tecnológicas) e da antiga idealização do futuro, que o Disney tanto apreciava. Essa ligação ficou mais evidente quando a atração do parque da Disney “It’s a small world” aparece no começo, para quem não conhece, se trata de um passeio em um barco por um show de bonecos animatrônicos, tecnologia que Walt Disney apresentou na World Fair de 1964. A minha primeira impressão é de que o filme teve sorte de não ser lançado nos anos 90, se fosse o caso iria se chamar “Uma viagem muito louca”, por mais que seria uma boa forma de descrevê-lo.

 

Tomorrowland é munido de grandes estrelas como George Clooney, interpretando um coitado que só teve azar na vida (algo bem fora da zona de conforto dele), e Hugh Laurie que parece ter sérias dificuldades de deixar o Dr. House para trás, o que não é necessariamente ruim. Britt Robertson, que interpreta a protagonista, é muito carismática e proporciona algumas excelentes reações durante o filme, sem falar na gritante semelhança com Jennifer Lawrence.

 

A história é envolvente por boa parte, mas as vezes vai te deixar com uma sobrancelha levantada, é compreensível, a ideia do filme é deixar a imaginação rolar solta. Visualmente é impecável, um banquete, o estilo “futurístico antigo” é muito interessante, uma pena que nós não estamos nem perto dessa realidade sonhada pelos nossos antepassados.

 

Disney's TOMORROWLAND Frank Walker (George Clooney) Ph: Film Frame ©Disney 2015

 

 

Vale a pena conferir Tomorrowland – O Lugar Onde Nada é Impossível, especialmente se você for um fã do “Mundo Mágico de Walt Disney”, ou um viciado em tecnologia, ou simplesmente curioso. Agora, se preferir filmes sóbrios, sérios especialmente se forem baseados em histórias reais, minha sugestão, fique longe desse.