Verdade ou Desafio | Crítica do Filme

Verdade ou Desafio | Crítica do Filme

 

_Estrela
Sinopse:
Enganados, um grupo de jovens estudante da faculdade começam a jogar “Verdade ou Consequência” e depois começam a ser assombrados por uma presença sobrenatural.Diretor: Jeff WadlowElenco: Lucy Hale, Tyler Posey, Violett Beane, Landon Liboiron, Nolan Gerard Funk, Aurora Perrineau, Sam Lerner, Hayden Szeto

Data de estreia:
3 de Maio de 2018

O modelo seguido pela Blumhouse Productions, selo de produções comandado por Jason Blum, tem causado um merecido alvoroço no mercado cinematográfico americano. Após o sucesso comercial da franquia “Atividade Paranormal”, a Blumhouse manteve a sua visão voltada para produções de baixo-orçamento, quase que exclusivamente dentro do gênero de suspense/terror. Seguindo esta mesma abordagem, a mais nova produção chefiada por Blum é “Verdade ou Desafio”.

Uma vez identificado o padrão da Blumhouse, não é díficil imaginar o por quê de “Verdade ou Desafio” ter sido escolhido ,entre tantos possíveis roteiros, para ser produzido. De maneira semelhante aA Morte te Dá Parabéns, o filme se propõe a trazer uma narrativa e um estilo típicos do gênero de terror nos anos 90, ao mesmo tempo em que procura atualizar estes elementos para a nossa atual era das redes sociais, com todos os seus males e benefícios.

Também é curioso como a produtora costuma buscar projetos que tragam ao menos um vislumbre de originalidade em sua premissa. Desta vez, a ideia era adicionar um aspecto sobrenatural à típica brincadeira de festas adolescentes cuja excitação está justamente nas suas possíveis consequências. No entanto, apenas uma premissa intrigante não é o suficiente para tornar um filme original, ou se quer aproveitável. É necessário construir um conjunto plausível de regras sobrenaturais, sob as quais a história poderá florescer.

“Verdade ou Desafio” busca inspiração em filmes como “Premonição” e “Eu sei o quê vocês fizeram no verão passado”. Um grupo de adolescentes se depara com uma experiência aterrorizante e são assombrados por suas consequências. Assim como tantos filmes que buscaram as mesmas referências (e não excluíndo algumas das próprias origens destas), os personagens possuem construções extramente superficiais, que não apenas tornam impossível qualquer identificação com o espectador, como também geram decisões e reações questionáveis em meio à história que, muitas vezes, levam a platéia ao riso.

Os melhores filmes de terror são aqueles que expõem nossos receios como seres humanos, sejam estes internos ou externos. A euforia e o entusiasmo que estes filmes causam no público é mera consequência do medo que já o habita, e isto é algo que diversos filmes do gênero costumam esquecer na hora se construir histórias aterrorizantes. Por mais potencial que “Verdade ou Desafio” pudesse ter em sua concepção, não há nada aqui que nos leve a torcer por qualquer um dos personagens, ou mesmo atiçar a nossa curiosidade em relação aos elementos macabros.

O conjunto de regras que citei anteriormente não é exclusivo do gênero de terror. Todo e qualquer filme que traga alguma dinâmica peculiar ou fantasiosa deve apresentá-la para o espectador e manter-se condizente com ela. Do contrário, as soluções e obstáculos encontrados pelos personagens não trarão a plausiblidade necessária para que a narrativa não se torne “forçada”. Em “Verdade ou Desafio, a maneira como a sobrenaturalidade vai sendo construída e posta em prática é preguiçosa, completamente ditada pela conveniência de uma história rasa.

No aspecto fotográfico, não há nada demais por aqui. A trilha sonora, também, é génerica demais para sequer despertar qualquer emoção em um público recorrente. E em meio a tantas convenções e clichês, tanto narrativos quanto técnicos, o filme ainda traz uma confiança equivocada em suas “viradas” emocionais, como se buscasse validar as tais “consequências” através de revelações mal orquestradas.

É frustrante perceber que uma produtora responsável por um filme tão transgressor como foi “Corra!”  no ano passado, tenha caído nas mesmas armadilhas das produções que tanto luta para se mostra diferente. “Verdade ou Desafio” não traz nada de aproveitável, nem mesmo para um público acostumado a buscar filmes de terror apenas pelos momentos de tensão. Que sirva de aprendizado para a produtora (algo que já deveria ter sido aprendido com Atividade Paranormal) : uma premissa original, por si só, não serve para nada.